quinta-feira, 19 de outubro de 2017

TOMA ESSA! MBL Pode Responder Por Lavagem De Dinheiro E Estelionato; SAIBA!

TOMA ESSA! MBL Pode Responder Por Lavagem De Dinheiro E Estelionato; SAIBA!
Por Redação Click Política Última Atualização 19 out, 2017
 

O III Congresso Nacional do MBL ocorrerá nos dias 11 e 12 de novembro em São Paulo. 

Contará com a presença de João Doria, Nelson Marchezan Jr, Marco Feliciano, Luiz Felipe Pondé e outros desconhecidos para discutir ‘as importantes conquistas que tivemos no país nos últimos anos’, conforme descrito na apresentação do evento, com painéis como ‘A falácia do discurso de igualdade’. 

Ingressos a 100 reais.

Mas é MBL ou MRL? Porque MBL é uma marca que, segundo o advogado Vinícius Carvalho Aquino, pertence a ele.

Não será surpresa, portanto, se em breve sair uma determinação judicial proibindo o uso da marca MBL pelos meninos paulistas do MRL. 

O terceiro congresso do MBL teria, por exemplo, que se redefinir como o primeiro do MRL.

Vinícius Aquino afirma ter criado o MBL com amigos em Maceió. 

Foi ele também quem encomendou a um amigo publicitário, Paulo Gusmão ,da Agência P, a marca, logotipo, tudo.

“A agência registrou isso tudo e as normas que regulam a propaganda protegem os criadores”, 

disse Vinícius ao DCM. Ele é detentor do CNPJ do Movimento Brasil Livre.

De acordo com o advogado, com o avanço das manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff, o MBL ganhou corpo e se espalhou pelo país todo. Havia saído de controle.

Quando alcançou São Paulo, entretanto, teve sua marca surrupiada pela turma de Kim Kataguiri, Fernando Holiday e Renan Santos e atrelada à empresa MRL.

É a MRL (Movimento Renovação Liberal) quem recebe todos os recursos de doações, filiações, vendas de produtos ou ingressos como o do tal Congresso. 

O dinheiro vai para essa empresa que é administrada por Renan Santos e dois irmãos (há ainda Marcelo Carratú Vercelino, um empresário).

Pode isso? Quem responde é Vinícius:

“Não pode. Além de usarem a marca MBL indevidamente e sem autorização pois ela é minha, eles comercializam produtos e têm fins lucrativos através de uma pessoa jurídica que não tem essa finalidade. 

O MRL do Renan é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). 

Quem faz doação a uma OSCIP pode abater do imposto de renda, por exemplo. Uma OSCIP não pode vender nada.”

O advogado entrou com representação no Ministério Público para explicar toda a questão e denunciar o MRL por estelionato. 

“Estão usando meu nome para arrecadar dinheiro pra eles. Quem se associa ao MBL, na verdade está se filiando ao MRL.”

Não é só isso.

“E evasão de divisas também. Para a Receita Federal, essa empresa pertence apenas à Stephanie Santos, irmã do Renan. Mas ela mora na Alemanha. 

Eles faturam com filiação, com vendas, e onde está o dinheiro? Eles nunca prestaram contas de nada, para ninguém. 

Não se sabe quantos filiados têm, quanto arrecadam. Não prestam contas porque não podem, a pessoa jurídica que possuem não pode exercer essas práticas”, explicou Vinícius.

De fato, a filiação ao MRL e suas mensalidades são uma mina de dinheiro. Divididas em categorias, elas vão de R$ 30,00 até R$ 10 mil por cabeça.

Camisetas são vendidas a R$ 50,00 (atenção, a que leva a inscrição ‘Lula Preso’ está em promoção por R$ 29,90 no site). Vendem também bonecos do Pixuleco (cujo registro, segundo o advogado Vinícius Aquino, também pertence a ele) e outras bugigangas.

Em resumo, quem pagou – e continua pagando mensalmente – não é nada de coisa alguma. 

Apenas os quatro fundadores é que continuam aparecendo como únicos membros no ‘estatuto’ da empresa fraudulenta.

E de fraude, a família de Renan Santos entende. 

Eles respondem a mais de 125 processos na Justiça, que no total ultrapassam R$ 20 milhões. Renan, sozinho, tem mais de 45 processos trabalhistas e 16 ações cíveis nas costas.

Ele é acusado de fechamento fraudulento de empresa, dívidas fiscais, fraude contra credores, calote em trabalhadores e até ações por danos morais. 

Uma delas do jornalista da Globo José Roberto Burnier, a quem Renan chamou de canalha em vídeo.

Já condenados em muitas dessas ações, os membros da família Santos (donos do MRL) não pagam e nem são pegos. 

Oficiais de Justiça não encontram ninguém nos endereços registrados como sedes e também não é possível encontrar bens em nome deles (daí a suspeita do advogado Vinícius Aquino de evasão de divisas).

Essa é a turma anti-corrupção que afirma estar passando o país a limpo e que agora quer nos livrar de exposições de arte “pedófila”. 

Vamos todos ao I Congresso do MRL para saber o que mais eles têm a propor.


DCM – Pragmatissmo


MINEIRINHO VAI PIRAR! Dilmar Vai ‘Rasgar’ Minas Gerais Com Lula E Candidatura Ao Senado Pode Ser Confirmada

MINEIRINHO VAI PIRAR! Dilmar Vai ‘Rasgar’ Minas Gerais Com Lula E Candidatura Ao Senado Pode Ser Confirmada
 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participará na próxima semana de uma série de atos em Minas Gerais como parte de sua pré-campanha para as eleições presidenciais de 2018.

Líder nas intenções de voto ao Senado no Estado, a presidente deposta Dilma Rousseff deve acompanhá-lo em ao menos um compromisso, um evento na Praça da Estação, no centro de Belo Horizonte.

Participação pode sinalizar intenção de Dilma em voltar à política, através de eleição ao Senado.

Lula lidera todas as pesquisas de intenção de voto à Presidência.

Em Minas Gerais, Estado governado pelo PT desde 2015, Lula tem programado visitar 12 cidades. 

A primeira, na noite de 23, será Ipatinga, no Vale do Aço, região da siderurgia e da indústria metal mecânica, com um histórico de votações no PT. 

De acordo com a presidente estadual do PT, Cida de Jesus, Lula terá compromissos em Governador Valadares, Teófilo Otoni, Itaobim, Itinga, Araçuaí, Salinas, Montes Claros, Bocaiúva, Diamantina, Cordisburgo e, encerrando o giro, em Belo Horizonte no dia 30.

Ontem, Lula afirmou que a Justiça terá de arcar com as consequências por uma eventual decisão que o impeça de se candidatar. 

O petista concedeu uma entrevista de mais 40 minutos à Rádio Super Notícia, de Belo Horizonte.

O ex-presidente disse que a Polícia Federal e o Ministério Público levantaram mentiras contra ele e que o juiz Sérgio Moro já o condenou por crimes que ele afirma não ter cometido.

“Eles invadiram minha casa, invadiram a casa dos meus filhos. Procurando o quê? Deviam estar procurando ouro, deviam estar procurando joias, deviam estar procurando dólar. 

Eles encontraram isso na casa do Serra, na casa do Aécio, na casa do Temer, na casa do Cunha, na casa do Cabral, na casa de não sei de quem, no banco da Suíça, na casa no Nuzman e não encontraram na minha casa”, disse.

As informações são de reportagem de Marcos de Moura e Souza no Valor.


EXCLUSIVO: Via WhatsApp, a ação de Aécio na votação do Senado

EXCLUSIVO: Via WhatsApp, a ação de Aécio na votação do Senado
VEJA.com   robsonbonin 4 horas atrás 19/10/2017

 O registro da conversa de celular entre Antonio Anastasia e Aécio Neves, momentos antes da votação no Senado que livrou o tucano na última terça-feira
© Foto: Cristiano Mariz/VEJA/Divulgação O registro da conversa de celular entre Antonio Anastasia e Aécio Neves, momentos antes da votação no Senado que livrou o tucano na última terça-feira

Na última terça-feira, o Senado enfrentou uma das mais controversas sessões de sua história. Em raro momento de constrangimento, os senadores se reuniram para livrar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) das medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

Afastado do mandato e proibido de sair à noite pela Primeira Turma do Supremo, o tucano permaneceu durante todo o dia recolhido em sua mansão no 
Lago Sul. 

Por celular, no entanto, ele recomendou a linha de discurso que um de seus aliados deveria seguir na tribuna, antes de a Casa decidir seu futuro no voto.

É o que revela uma sequência de imagens captadas pelo fotógrafo Cristiano Mariz, de VEJA. 

Nas fotos, o senador mineiro, Antonio Anastasia, é flagrado conversando pelo WhatsApp com Aécio Neves minutos antes da votação. 

O presidente afastado do PSDB parece ansioso enquanto orienta o fiel escudeiro. “Quem vai falar?”, questiona Aécio. 

“Sei que Telmário e eu. Mais dois”, diz Anastasia.

Aécio está preocupado em deixar evidente no discurso dos aliados o “direito” de poder se defender como senador das acusações apresentadas pela Procuradoria-Geral da República. 

“Importante vc repetir aquele discurso. Por favor. Direito de Defesa”, escreve Aécio ao aliado. 

Companheiro aplicado, Anastasia responde com um breve “Ok” e relata a Aécio como será a votação: 

“O Tasso [Jereissati] vai falar. O Telmário também. 

São só cinco fé (provável erro de digitação) cada lado”. Aécio passa outra orientação: “Faz uma defesa mesmo que rápida da minha trajetória. Se puder Rs”, diz.

Antonio Anastasia seguiu o plano à risca e atacou a decisão do Supremo lembrando o “direito de defesa”:

 “No caso concreto do senador Aécio Neves, nós estamos diante de um processo em que já há denúncia aceita e em que a defesa está completa, no âmbito do processo? 

Em que todo o processo penal está já concluído, em andamento, e já com a defesa formalizada? Ainda não. Nós estamos ainda numa fase inaugural, preambular, inicial do processo. 

Por isso mesmo, as medidas cautelares que foram colocadas por alguns ministros do Supremo, a meu juízo, não têm cabimento neste momento”, discursou, lembrando a “garantia do direito de defesa é sagrada no regime democrático de direito”.

O senador tucano encerrou seu pronunciamento fazendo, conforme o pedido de Aécio, “uma defesa mesmo que rápida da minha trajetória”: 

“Também não posso deixar de acrescer a minha qualidade de testemunha, senhor presidente, do grande desempenho administrativo que teve o governador, à época, Aécio Neves à frente do governo e, de fato, o reconhecimento que os mineiros lhe deram, tanto que o trouxeram, com votação muito expressiva, ao Senado da República”.

Arquivado em: Brasil


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

CRITICANDO MEDIDA: “É Retrocesso”, Afirma Raquel Dodge Sobre Portaria Do Trabalho Escravo; SAIBA!

CRITICANDO MEDIDA: “É Retrocesso”, Afirma Raquel Dodge Sobre Portaria Do Trabalho Escravo; SAIBA!
Por Redação Click Política Última Atualização 18 out, 2017
 

Um encontro com o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, nesta quarta-feira, 18, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge classificou a Portaria MTB nº1129/2017 como um ‘retrocesso à garantia constitucional de proteção à dignidade da pessoa humana’. 

A portaria dificulta a punição do trabalho escravo.

Em encontro com o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, nesta quarta-feira, 18, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge classificou a Portaria MTB nº1129/2017 como um ‘retrocesso à garantia constitucional de proteção à dignidade da pessoa humana’. 

A portaria dificulta a punição do trabalho escravo.

Nesta quarta, Raquel Dodge recebeu o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, e oficializou o pedido de revogação da portaria. 

A informação foi divulgada pelo Ministério Público Federal.

A procuradora-geral entregou ao ministro ofício em que chama atenção para as violações constitucionais que podem ser efetivadas a partir do cumprimento da norma, além de uma recomendação elaborada pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).


A procuradora-geral citou ao ministro a dignidade humana, garantida na Constituição, e não apenas a liberdade de ir e vir. 

“A portaria volta a um ponto que a legislação superou há vários anos”, afirmou Raquel.

Segundo a procuradora-geral, a proteção estabelecida na política pública anterior tem o propósito de impedir ações que ‘coisificam’ o trabalhador, que está na raiz do conceito de escravidão. 

Raquel Dodge destacou que, na caracterização da condição análoga à de escravidão, é importante verificar a intenção do agente e a combinação de fatores que atentam contra a dignidade humana do trabalhador.

“Há casos em que há consentimento do trabalhador, mas em situações como de coação, por exemplo, isso não é válido sob a ótica do direito”, disse.

Raquel Dodge enfatizou a disponibilidade para discutir propostas que criem um marco regulatório que dê segurança a todos, com medidas que não flexibilizem a proteção constitucional ao trabalhador, e que assegurem a punição a quem insiste em manter pessoas em situações análogas à escravidão.

A procuradora-geral sugeriu que a participação da Polícia Federal – prevista na nova portaria – nas inspeções realizadas por auditores do Ministério do Trabalho mantenha o atual caráter de escolta ao auditor fiscal do trabalho e tenha efetivo papel de polícia judiciária da União.

“É importante que a Polícia Federal atue para, na condição de polícia judiciária, instaurar inquéritos, avaliar prisões em flagrante, colher depoimentos que podem garantir a punição deste crime que envergonha a todos”, enfatizou.

Nessa terça (17), membros do Ministério Público Federal e do Ministério Público do Trabalho integrantes da Comissão Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), com apoio da Câmara Criminal do MPF (2CCR) e da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), elaboraram recomendação para a revogação imediata da Portaria MTB Nº 1129/2017, sob o fundamento de que afronta o artigo 149 do Código Penal e as Convenções 29 e 105 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O documento, entregue em mãos pela procuradora-geral da República ao ministro do Trabalho, foi acompanhado de ofício em que Dodge acrescentou que o trabalho escravo viola a dignidade e não apenas a liberdade da pessoa humana.

“É por esta razão que, ao adotar um conceito de trabalho escravo restrito à proteção da liberdade e não da dignidade humana, a Portaria nº 1129 fere a Constituição, que a garante em seus artigos 1º-III (ao estabelecer que a República tem por fundamento a dignidade da pessoa humana) e 170-caput (ao estabelecer que a ordem econômica tem por finalidade assegurar a todos existência digna e é fundada na valorização do trabalho humano)”, afirmou Raquel.
O Estadão



Aécio Neves Volta Ao Senado, Chora E Afirma Ser Vítima De Armação; SAIBA!

Aécio Neves Volta Ao Senado, Chora E Afirma Ser Vítima De Armação; SAIBA!
 

De volta ao Senado, Aécio Neves (PSDB-MG) fez um discurso no plenário da Casa no qual se disse vítima de uma “ardilosa armação”, 
da qual teriam participado o empresário Joesley Batista, com quem foi gravado em conversas sobre um repasse de R$ 2 milhões e, acusou, integrantes “com assento” 
até pouco tempo atrás na Procuradoria-Geral da da República. 
Caso de Rodrigo Janot, que deixou o comando da PGR em 17 de setembro.

“Fui vítima de uma ardilosa armação, uma criminosa armação, perpetrada por empresários inescrupulosos que se enriqueceram às custas do dinheiro público e não tiveram qualquer constrangimento em acusar pessoas de bem, nas buscas dos benefícios de uma inaceitável delação ora suspensa, em razão de parte da verdade estar vindo à tona”, afirmou. 

“Mas o o mais grave: contribuíram para esta trama ardilosa homens de Estado, notadamente alguns que tinham assento, até muito pouco tempo, na Procuradoria-Geral da República (PGR)”, continuou.



MORO NÃO PARA! Lava Jato Vaza Delação Contra Lula No Dia Que Salvam Aécio

MORO NÃO PARA! Lava Jato Vaza Delação Contra Lula No Dia Que Salvam Aécio
 

O ex-deputado Pedro Corrêa (ex-PP/PE) afirmou, em delação premiada, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha ‘pleno conhecimento da arrecadação de propinas no âmbito do Mensalão’ e que participou da indicação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa.

 Segundo o ex-parlamentar, Lula ‘tinha a convicção e certeza de que os partidos iriam usar essas pessoas [indicados a cargos em estatais] iriam arrecadar junto aos empresários recursos para fazer campanha política’.


terça-feira, 17 de outubro de 2017

BOMBA! O MAIOR INIMIGO DO PT? Janot Articulou Golpe Contra Dilma Usando A PGR; SAIBA!

BOMBA! O MAIOR INIMIGO DO PT? Janot Articulou Golpe Contra Dilma Usando A PGR; SAIBA!
 

A delação de Lúcio Funaro, foi sem dúvida alguma, a mais contundente em relação as demais. 

Além de falar sobre as manobras em transações de vultuosas somas de recursos em propina no PMDB, através dos ex-deputados Eduardo Cunha, Henrique Eduardo Alves, Geddel Vieira Lima, presos pela Polícia Federal tendo a coordenação do presidente Michel Temer, o doleiro foi além das expectativas, deixando o Brasil estarrecido.

Lúcio Funaro foi o único envolvido e ouvido, à denunciar o esquema sórdido do impeachment, que redundou com o afastamento da presidente Dilma Rousseff no ano passado, tendo a mesma atingido o apoio de mais 54 milhões de brasileiros e vencendo o pleito para o senador Aécio Neves.

O doleiro fez uma acusação da maior gravidade, afirmando ao MPF, que acompanhou passo à passo, toda a trama das propinas e do golpe contra a ex-presidente, afirmando inclusive, quem estaria encabeçando a arapuca para Dilma e o PT seriam: 

O presidente Michel Temer e “pasmem os senhores”, como também o então Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. 

O mais intrigante, foi a afirmação de que o STF estaria sabendo de tudo, inclusive da compra de votos de parlamentares para que o intento fosse sacramentado.

Perguntar não ofende! 

1º- Como a população brasileira que tem o MPF e o Judiciário como defensores das leis e da garantia dos direitos dos cidadãos, pode digerir tamanha barbaridade?

2º- Como um Procurador Geral da República tem o desplante de se nivelar de maneira sorrateira como Rodrigo Janot, ao ponto de utilizar uma instituição respeitosa como a PGR, para montar estratégias de seu interesse ou para fazer o jogo de alguém, enganando a imensa população do país?

Será que foi por esse motivo que o ministro Gilmar Mendes do STF, chegou a dizer que o então procurador seria classificado como responsável pela pior gestão da PGR?

Quem sabe se não foi por isso que um dia a ministra Eliana Calmon, assegurou categoricamente que se nas investigações da Lava Jato, não constasse acusações envolvendo membros do judiciário e do MP, tudo não passaria de uma farsa?

A verdade é que as denúncias são graves e os golpistas tentam desqualificar as mesmas da maneira mais descarada possível, achando que o povo é bobo.

A população exige através das comunidades em redes sociais, nas ruas, praças e demais logradouros públicos, que a atual Procuradora Geral da República, determine a abertura de uma investigação do senhor Rodrigo Janot, denunciado em delação pelo doleiro Lúcio Funaro e agora do conhecimento de todos.

 Afinal de contas, ninguém está acima da lei, como diz a Carta Magna do país, ou uma frase sustentada pelo próprio procurador: 

“O pau que bate em Chico, bate em Francisco.”

Não estamos fazendo qualquer pré-julgamento da figura do procurador Janot, mas, exigimos que esse fato seja esclarecido à sociedade. 

E se comprovado, a PGR tem o dever moral de pedir a anulação do impeachment e a punição dos envolvidos nessa faceta medíocre e de uma irresponsabilidade da pior envergadura.

Se nada for feito com relação ao assunto, ficará comprovado que o golpe terá ramificações inesperadas de chegar ao ponto de condenar Lula, tornar o mesmo inelegível e de preferência na cadeia, bem como, acabar com Dilma, o Partido dos Trabalhadores e sabe-se lá o que mais.

“O povo está de olho, cansado de tanta injustiça e de não poder votar livremente. 

A condenação de Lula irá gerar, a maior crise política de todos os tempos, disso não tenha a menor dúvida”, disse um líder sindical.

Click Política
Matéria do Jornalista Gil Silva